Controle de nabo e azevém em trigo com herbicidas pós-emergentes

Resumo

A coexistência de plantas daninhas nos estádios inicias de desenvolvimentos na cultura de trigo, reduzem o potencial produtivo da cultura refletindo no menor rendimento de grãos. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o controle de Azevém (Lolium multiflorum) e nabo (Raphanus raphanistrum L.) com a utilização de herbicidas aplicados em pós-emergência em duas cultivares de trigo, além de mensurar o efeito fitotóxico dos herbicidas sobre a cultura. O experimento teve os seguintes tratamentos: Clodinafope - propargil, Pinoxadene, Iodosulfurom hoefix e Pyroxsulam, nas dosagens recomendadas pelo fabricante, 25% a menos e 25% a mais da dose recomendada. A aplicação dos herbicidas ocorreu no estádio de perfilhamento do trigo, com pulverizador de pressão (CO2), pontas tipo jato leque plano simples, da série 11002, com vazão de 150 L ha-1. As avaliações foram realizadas aos 7, 14, 21 e 28 dias após aplicação (DAA), emitindo uma nota de fitotoxidade, sendo 0 com ausência de fitotoxidade e 100 com a máxima fitotoxidade (morte de planta). Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de tukey a 5% de significância. A fitotoxidade foi notória apenas nos 7 DAA. O herbicida Pinoxadene apresentou o melhor controle de azevém e foi o tratamento em que a cultura do trigo apresentou o maior rendimento de grãos. O percentual de fitotoxidez foi estável entre cultivares, sendo a característica de fitotoxidez atrelada a produtos.
https://doi.org/10.26669/2448-4091251
pdf

Referências

AGOSTINETTO, D. et al. 2016. Alterações na Fotossíntese e Estresse Oxidativo em Plantas de Trigo Submetidas a Aplicação de Herbicidas. Planta daninha, Viçosa, 34: 1806-9681

COSTA, L. O. & RIZZARDI, M. 2015. Habilidade competitiva de trigo em convivência com biótipos de Raphanus raphanistrum L. resistente e suscetível aos herbicidas inibidores de ALS. Ciênc. agrotec 39: 1413-7054

DIEZ DE ULZURRUM,P & LEADEN, M.I. 2012. Análisis de la sensibilidad de biotipos de Lolium multiflorum a herbicidas inhibidores de la enzima ALS, ACCasa y Glifosato, Planta daninha, 30: 0100-8358

EWRC, E. W. R. C. 1964. Report of the 3rd and 4th meetings of EWRC – Committee of methods in Weed Research. Weed Res, Oxford, 88.

FRANCESCHI, L. et al. 2009. Fatores pré-colheita que afetam a qualidade tecnológica de trigo. Ciência Rural, 39: 1624-1631.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografía e Estatística, 2017. Disponivel em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/agricultura-e-pecuaria/9201-levantamento-sistematico-da-producao-agricola.html>. Acesso em: 29 janeiro 2018.

LAMEGO, P. F. et al. 2015. Alterações morfológicas de plântulas de trigo, azevém e nabo quando em competição nos estádios iniciais de crescimento. Planta daninha, 33: 0100-8358.

LOURENÇO, E.; ALENCAR, J. R. D. C. C. 2016. ESTUDO DA FITOTOXIDADE DE HERBICIDAS APLICADOS EM PÓS EMERGÊNCIA NA CULTURA DO TRIGO. 11: 1983-7178.

MARIANI, F et al. 2015. HERANÇA DA RESISTÊNCIA DE Lolium multiflorum AO IODOSULFURONMETHYL. Planta Daninha, 351-356: 1806-9681.

RUBENICH, R. et al. 2017. Efeito da redução de luz na seletividade a herbicidas e rendimento de grãos de trigo, 296-306: 2236-1065.

SILVA, A. A. B. et al. 2016. Weed Interference Periods in Early Wheat in the Midwest of Paraná. Planta daninha, 34: 1806-9681

TANVEER, A. et al. 2018. O Uso do Sulfato de Alquil Éter na Melhora da Eficácia de Herbicidas Contra a Ançarinha-Branca e a Corriola na Cultura do Trigo. 35: 1806-9681.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista de Ciência e Inovação