Revista de Ciência e Inovação https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao <p>A Revista de Ciência e Inovação (RCI) constitui-se numa publicação técnico-científica multidisciplinar do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFar). A RCI tem por finalidade publicar trabalhos originais e inéditos da produção científica nacional e internacional nas diversas áreas do conhecimento.</p> <p>&nbsp;</p> <p align="justify">A RCI possui Qualis B5 e não realiza cobranças para submissão, bem como para sua publicação.</p> <p align="justify">&nbsp;</p> Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha pt-BR Revista de Ciência e Inovação 2448-4083 <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" rel="license"><img style="border-width: 0;" src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a><br>O trabalho IF Farroupilha está licenciado com uma Licença <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" rel="license">Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional</a>.</p> Editorial https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/319 Neiva Maria Frizon Auler Copyright (c) 2021 Neiva Maria Frizon Auler https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-10 2021-02-10 6 1 10.26669/2448-4091319 A necessidade de regulamento de interconexão para microgeração por máquinas síncronas e assíncronas https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/266 <p>A geração de energia elétrica utilizando biogás em propriedades rurais tem sido amplamente<br>pesquisada nos últimos anos. Diversos são os estudos demonstrando a viabilidade técnica,<br>econômica e benefícios ao meio ambiente proporcionados por esse tipo de geração. Por outro lado,<br>tanto produtores de diversas regiões do país como fabricantes que trabalham no desenvolvimento<br>de equipamentos para geração voltados a essa demanda têm encontrado dificuldades para sua<br>implementação devido a divergências em normas apresentadas por distribuidoras de energia<br>elétrica. Neste artigo, é realizado um estudo comparativo entre as diferentes normas a que esse<br>mercado está sujeito. Nesse sentido, são apresentadas as principais dificuldades encontradas,<br>além de demonstrar a necessidade da formulação de uma norma mais objetiva, que permita a<br>ampliação da utilização dessa fonte de energia e abertura desse mercado.</p> Alcedir Luis Finkler Mauricio de Campos Paulo Sérgio Sausen Airam Tereza Zago Romcy Sausen Copyright (c) 2021 Revista de Ciência e Inovação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-09 2021-02-09 6 1 10.26669/2448-4091266 Uso de SIG para geração de mapas com a localização média da Periquiteira (Trema micrantha) na margem noroeste do município de São Francisco, bacia hidrográfica do Rio São Francisco, MG https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/295 <p>A gestão dos recursos naturais de maneira responsável é, sem dúvida, um dos maiores desafios<br>de gestão ambiental. Para isso, técnicas de sensoriamento remoto têm sido cada vez mais usadas<br>objetivando um melhor e maior auxílio à decisão. Na margem Noroeste (B) do município de São<br>Francisco, Norte de Minas Gerais, localizado na bacia alto-média do rio São Francisco e onde o<br>Cerrado natural sofreu intensa degradação no intervalo de 41 anos (1975-2016), realizou-se o<br>presente estudo, objetivando, através da metodologia de sobreposição de imagens cartográficas,<br>utilizando-se a ferramenta IDW do software Arcgis 10.2, gerar um mapa capaz de apresentar<br>a média populacional da Periquiteira (Trema micrantha) por ponto de coleta. Pode-se concluir,<br>após a exitosa experiência metodológica aqui presente, que o mapeamento sobreposto realizado<br>apresenta a Periquiteira (Trema micrantha) presente, basicamente, nos extremos Leste, Oeste,<br>Sudeste e Sudoeste da área de estudo. Comparando-se o mapa gerado com a carta acerca da<br>hidrografia local, nota-se sua maior presença nas áreas mais alagadiças, evidenciando como a<br>distribuição hidrográfica é o principal fator capaz de explicar a distribuição dos indivíduos desta<br>espécie ao longo da margem B. Sugerem-se mais estudos acerca da hipótese aqui proposta de<br>distribuição da espécie em questão ao longo da região Noroeste do município de São Francisco.</p> Pedro Luiz Teixeira de Camargo Paulo Pereira Martins Júnior Marcílio Baltazar Teixeira Fernando Antônio Madeira Raphaella Karla Portes Beserra Copyright (c) 2021 Pedro Luiz Teixeira de Camargo, Paulo Pereira Martins Júnior, Marcílio Baltazar Teixeira, Fernando Antônio Madeira, Raphaella Karla Portes Beserra https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-10 2021-02-10 6 1 10.26669/2448-4091295 Avaliação físico-química e sensorial de uma bebida à base de suco de laranja adicionada de soro de leite https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/272 <p>Em 2017, foram produzidos no Brasil 511 milhões de litros de sucos concentrados, 1 bilhão<br>de litros de sucos tropicais e néctares e 373 milhões de litros de refrescos, o que comprova<br>o interesse do consumidor por bebidas naturais e de maior apelo nutricional. A utilização do<br>soro de leite nesses produtos qualifica-os e, constitui-se em uma maneira de reduzir o impacto<br>ambiental causado pelo lançamento desse tipo de resíduo ao meio ambiente. Em face disso,<br>buscou-se elaborar bebidas de frutas adicionadas de soro de leite bovino e avaliar físico-química<br>e sensorialmente esses produtos. As bebidas foram elaboradas utilizando três concentrações<br>de soro de leite (40, 50 e 60%), conforme definido em testes preliminares. Os parâmetros<br>considerados como respostas foram pH, acidez total, acidez volátil, óleos e graxas, umidade,<br>cinzas, proteína, açúcares redutores e açúcares redutores totais, sólidos solúveis e turbidez. A<br>análise sensorial foi realizada mediante o teste de ordenação. A análise dos resultados mostrou<br>que as concentrações dos parâmetros físico-químicos não variaram de forma significativa em<br>relação aos diferentes percentuais de soro de leite. No que se refere à análise sensorial, a bebida<br>contendo 60% de soro de leite se diferiu significativamente em relação às demais amostras<br>para os atributos sabor e cor. Para o atributo odor, as amostras não apresentaram diferenças<br>significativas entre si. Conclui-se que a adição de soro de leite bovino é uma alternativa viável<br>na elaboração de bebida com suco de laranja, sendo possível a utilização de até 50% de soro<br>de leite bovino na formulação.</p> Marcio Oliveira Hornes Karen de Fátima Rodrigues Cargnin Copyright (c) 2021 Marcio Oliveira Hornes, Karen de Fátima Rodrigues Cargnin https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-09 2021-02-09 6 1 10.26669/2448-4091272 Controle de nabo e azevém em trigo com herbicidas pós-emergentes https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/251 <p>A coexistência de plantas daninhas nos estádios inicias de desenvolvimentos na cultura de trigo, reduzem o potencial produtivo da cultura refletindo no menor rendimento de grãos. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o controle de Azevém (<em>Lolium</em> <em>multiflorum</em>) e nabo (<em>Raphanus raphanistrum L</em>.) com a utilização de herbicidas aplicados em pós-emergência em duas cultivares de trigo, além de mensurar o efeito fitotóxico dos herbicidas sobre a cultura. O experimento teve os seguintes tratamentos: Clodinafope - propargil, Pinoxadene, Iodosulfurom hoefix e Pyroxsulam, nas dosagens recomendadas pelo fabricante, 25% a menos e 25% a mais da dose recomendada. A aplicação dos herbicidas ocorreu no estádio de perfilhamento do trigo, com pulverizador de pressão (CO<sub>2)</sub>, pontas tipo jato leque plano simples, da série 11002, com vazão de 150 L ha<sup>-1</sup>. As avaliações foram realizadas aos 7, 14, 21 e 28 dias após aplicação (DAA), emitindo uma nota de fitotoxidade, sendo 0 com ausência de fitotoxidade e 100 com a máxima fitotoxidade (morte de planta). Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de tukey a 5% de significância. A fitotoxidade foi notória apenas nos 7 DAA. O herbicida Pinoxadene apresentou o melhor controle de azevém e foi o tratamento em que a cultura do trigo apresentou o maior rendimento de grãos. O percentual de fitotoxidez foi estável entre cultivares, sendo a característica de fitotoxidez atrelada a produtos.</p> Rudinei Balem Lucimara Rodrigues Padilha Cleudson José Michelon Leandro Costa Copyright (c) 2021 Revista de Ciência e Inovação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-09 2021-02-09 6 1 10.26669/2448-4091251 Efeitos da temperatura e do teor de água na qualidade de grãos de canola durante o armazenamento https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/271 <p>A canola apresenta elevado potencial de utilização no Brasil como alternativa para sistemas<br>produtivos de inverno. Dentre os fatores que afetam a qualidade de armazenamento da canola,<br>a temperatura e a umidade dos grãos são os principais, pois estando inadequados aceleram as<br>reações bioquímicas e metabólicas dos grãos que acarretam em perdas. Assim, considerando<br>a crescente produção de canola, o objetivo do trabalho foi determinar os efeitos da umidade<br>dos grãos, temperatura e tempo de armazenamento seguras para manutenção da qualidade de<br>grãos de canola armazenados. Os grãos foram armazenados por um período de 180 dias com<br>os teores de água de 8, 10, 12 e 14% nas temperaturas de 7, 17 e 27°C, e foram avaliados os<br>parâmetros de qualidade tecnológicos de grãos. Os resultados indicaram que as temperaturas<br>de 17 e 27°C ocasionaram as maiores reduções de qualidade nos parâmetros avaliados dos<br>grãos armazenadas com 12 e 14% de umidade. A temperatura de 27°C ocasionou perdas de<br>qualidade nas amostras armazenadas com 10% de umidade. Na temperatura de 7°C ocorreu<br>melhor conservação das sementes nos teores de água de 8, 10 e 12% durante 180 dias de<br>armazenamento.</p> Luana Haeberlin Camila Fontoura Nunes Nairiane Bilhalva Elton Pilar Medeiros Ricardo Tadeu Paraginski Copyright (c) 2021 Revista de Ciência e Inovação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-09 2021-02-09 6 1 10.26669/2448-4091271 Gestores municipais do sistema único de saúde: dificuldades na gestão e no planejamento das ações de saúde https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/256 <p>Trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa realizada junto aos gestores de<br>municípios da região de abrangência da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande<br>do Sul. Os objetivos foram identificar as dificuldades encontradas pelos gestores municipais de<br>saúde no desenvolvimento de suas funções e verificar o conhecimento destes acerca dos instrumentos de planejamento em saúde. Após o processo de análise de conteúdo, os resultados foram<br>agrupados em duas categorias temáticas, quais sejam: dificuldades na gestão e planejamento<br>das ações em saúde. Conclui-se que nem todos os gestores estão preparados para utilizar ou<br>não conhecem, suficientemente, os instrumentos de planejamento e, portanto, não apresentam<br>condições efetivas para administrar de maneira eficaz os recursos disponíveis. Desta forma,<br>torna-se indispensável que os gestores e futuros gestores passem por processos de capacitação<br>e educação continuada a fim de que possam exercer suas atividades com maior fluidez e êxito</p> Sandra Maria Mello Copyright (c) 2021 Revista de Ciência e Inovação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-09 2021-02-09 6 1 10.26669/2448-4091256 Panorama dos bacharelados interdisciplinares no Brasil https://periodicos.iffarroupilha.edu.br/index.php/cienciainovacao/article/view/289 <p>Este artigo situa e contextualiza os cursos de Bacharelado Interdisciplinar (BI), no Brasil, e<br>objetiva sinalizar para gestores de ensino superior, pesquisadores e demais interessados no<br>tema o cenário em 2017 da oferta desses cursos. Tais programas de bacharelado interdisciplinar<br>tiveram início com a implantação da Reestruturação e Expansão das Universidades Federais<br>(REUNI), em 2007, e foram implantados com o objetivo de confrontar o modelo enciclopédico,<br>redimensionando as novas formações universitárias em uma perspectiva de transversalização nas<br>áreas de conhecimento das universidades brasileiras. Metodologicamente, a pesquisa baseou-se<br>em documentos basilares sobre o tema em discussão e na plataforma e-MEC - sistema eletrônico<br>de monitoramento dos processos que regulamentam a educação superior no Brasil. Os resultados<br>foram obtidos em pesquisa documental e dados quantificados e categorizados para a compreensão<br>do panorama no Brasil. Conclui-se que apesar dos grandes esforços para mudar a formação<br>do alunado brasileiro, o BI ainda é uma realidade incipiente no país. As universidades públicas<br>concentram o maior número de BI, havendo resistência geral à implantação de novos modelos<br>de formação no ensino superior. Houve avanços dos cursos BI, reconhecendo as metodogias<br>inovadoras nesta formação pegagógica dentro de uma abordagem interdisciplinar mais plural,<br>mesmo assim ainda há desafios e resistências, entre docentes e estudantes, implicadas a partir<br>de paradigmas conservadores do modelo tradicional de formação.</p> Lidiane Bittencourt Barroso Leandro Silveira Ferreira Francisco Nilton Gomes de Oliveira Copyright (c) 2021 Lidiane Bittencourt Barroso, LEANDRO SILVEIRA FERREIRA, FRANCISCO NILTON GOMES DE OLIVEIRA https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-09 2021-02-09 6 1 10.26669/2448-4091289