A política de cotas e de permanência: uma análise do triênio 2015-2017 do IFFar Campus Santo Ângelo.
PDF

Palavras-chave

Cotas
democratização
educação.

Resumo

A política de cotas ampliou o acesso a grupos estatisticamente excluídos da educação pública federal, mas ela efetivamente está democratizando o acesso à educação pública? Baseado em uma pesquisa realizada no IFFar Campus Santo Ângelo busca-se apresentar os dados de inscrições nos processos seletivos, o percentual de matrículas e de evasão no triênio 2015-2017. A pesquisa analisou documentos públicos por meio de estatística descritiva. Constatou-se a dimensão da lacuna entre a demanda por educação profissional e tecnológica e a atual capacidade do Estado em atendê-la. A pesquisa também destacou o percentual de pessoas que não conseguem êxito nos processos seletivos, cuja maior incidência é entre pessoas com renda inferior 1,5 per capita, egressos de escola pública e autodeclarados pretos pardos e indígenas. Por outro lado, os indicadores de permanência são maiores entre os cotistas egressos de escola pública e os alunos com renda per capita de até 1,5 salários mínimos; já entre pretos pardos e indígenas, o percentual de evasão é maior do que entre os demais, incluindo cotistas ser recorte racial.
https://doi.org/10.26669/2448-4091207
PDF

Referências

ALMEIDA, L. et al. Democratização do acesso e do sucesso no ensino superior: uma reflexão a partir das realidades de Portugal e do Brasil. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v. 17, n. 3, p. 899–920, nov. 2012.

AUGUSTO, H.; MEDEIROS, V. Limites da Lei de Cotas nas Universidades Públicas Federais. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 24, n. 6, p. 1–24, 2016.

BARBOSA, PONTE, M.; PETTERINI, F. C.; FERREIRA, R. T. AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA POLÍTICA DE EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS SOBRE AS ECONOMIAS MUNICIPAIS. [s.l: s.n.]. Disponível em: <http://www.territoriosdacidadania.gov.br/.>. Acesso em: 8 ago. 2018.

BORGES, G. F. S. A Educação Superior no Brasil e a busca pela democratização: trajetória histórica até os tempos de Sisu. Revista Evidência, v. 14, n. 14, 2018.

BRASIL. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm>. Acesso em: 8 ago. 2018.

COSTA, D. D. DA et al. O PROUNI na educação superior brasileira: indicadores de acesso e permanência. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v. 22, n. 1, p. 141–163, abr. 2017.

COUTINHO, C. A. J. B.; BARBOSA, C. A. J. Levantamento geral das decisões judiciais sobre política de cotas nas universidades públicas da Bahia (2003-2012). 22 dez. 2014.

CRUZ, I. C. DA. O desafio da democratização do acesso à Universidade e o debate sobre cotas para negros. Boletim NEPAE-NESEN, v. 14, n. 1, 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/santo-angelo/panorama>. Acesso em: 8 ago. 2018.

OLIVEIRA, A. R. M. DE; ESCOTT, C. M. Políticas públicas e o ensino profissional no Brasil. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 23, n. 88, p. 717–738, set. 2015.

OLIVEIRA, E. A. DE. Políticas de educação profissional e desenvolvimento regional : o papel dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia na Região Integrada de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal e Entorno RIDE-DF. 29 mar. 2017.

POSSENTI, S.; BITTAR, A. L. B. Discursos sobre cotas no Brasil. Cadernos de Estudos Lingüísticos, v. 58, n. 1, p. 113, 18 abr. 2016.

RITTER, C. A política de cotas na educação superior: as (a)simetrias entre o acesso nas universidades federais e o desenvolvimento social brasileiro. 28 mar. 2018.

SILVA, A. F. DA. O Reuni entre a expansão e a reestruturação: uma abordagem da dimensão acadêmico-curricular. São Paulo: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo, 16 out. 2014.

STF. ADPF 186 - MED. CAUT. EM ARGÜIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL 186-2 DISTRITO FEDERAL. Brasília: [s.n.]. Disponível em: <http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaNoticiaStfArquivo/anexo/ADPF186.pdf>. Acesso em: 8 ago. 2018.

VIEIRA GUARNIERI, F.; LEAL MELO-SILVA, L. Cotas Universitárias no Brasil: Análise de uma década de produção científica. Psicologia Escolar e Educacional, SP, v. 21, n. 2, p. 183–193, 2017.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Revista de Ciência e Inovação